”Próxima reunião da Câmara Temática às 19 horas, Casa da Cultura”

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Instituto Ecumênico quer implantar manual de ensino religioso nas escolas

Foto Brenna Amâncio
O Instituto Ecumênico do Acre criou uma cartilha de ensino religioso para professores, a fim de aplicá-la nas escolas da rede pública. Representantes das religiões católica, evangélica, espírita e matrizes africanas se reuniram para desenvolver o manual. No entanto, até o momento apenas 1000 exemplares foram impressos. A ideia é levar o programa a todos os alunos acreanos, desconsiderando o fanatismo e o preconceito.

De acordo com o padre Massimo Lombardi, membro do Instituto Ecumênico, reuniões serão realizadas para definir uma escola, que servirá de piloto no programa. “Trabalharemos primeiro os professores, para que entendam o significado do conteúdo do manual, evitando indevidas interpretações. Depois queremos ver como os alunos irão responder a isso”, explica.

Massimo declara que não há nenhum tipo de fanatismo imposto no material e que os textos são completamente educativos. “O objetivo é realmente fazê-los conhecer e compreender a doutrina de cada religião, sem qualquer tipo de preconceito”.

A cartilha foi elaborada há dois anos, mas o desafio do grupo ecumênico ainda é grande para tentar difundir a ideia. “Estamos trabalhando também com os professores do interior. Infelizmente não temos cartilhas suficientes para todos”, lamenta.

Padre Massimo aproveita para divulgar o curso superior de Ciências da Religião, pelo Instituto Ecumênico. “A previsão para o início das aulas é 1º de março e a duração é de 2 anos”. 

Um comentário:

Os comentários neste blog passam por nossa moderação, o que nos confere o direito de publicá-los ou não.

Os textos e conteúdos dos comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam, necessariamente, a opinião deste blog.

Não serão publicados comentários de leitores anônimos ou aqueles considerados moralmente ofensivos, racistas, preconceituosos ou que façam apologia a qualquer tipo de vício ou atos de violência e discriminação.

A reprodução é livre desde que mantido o contexto e mencionado a fonte.