”Próxima reunião da Câmara Temática às 19 horas, Casa da Cultura”

sexta-feira, 8 de março de 2013

Brava Gente - Antônio Pedro, alegria e natureza na musicalidade seringueira

Por Onides Bonaccorsi Queiroz - Agência de Notícias do Acre
Músico acreano Antônio Pedro cultiva a tradição musical seringueira (Foto: Arison Jardim/Secom
O acreano Antônio Pedro não concebe a vida sem natureza ou sem música. Nasceu no Seringal Bonsucesso, município de Feijó, numa família musical e foi criado na floresta. “Meu pai tocava e eu era ali, no mocotó dele”, conta. Percebendo o pendor do menino, que vivia cantando, o pai lhe conseguiu um violão. Sozinho, aprendeu a tocar e a afinar. E, desde então, também compõe. Hoje, além do violão, toca harmônica, rabeca, banjo e é mecânico de instrumentos.

Dos registros da infância e juventude, reporta os bailes no seringal: “No salão havia quatro bancos: o dos senhores, de frente para o das senhoras, e o dos rapazes, de frente para o das moças.” Lembra-se também de bebidas de que já não se ouve falar: “Havia a cocal, a jararaca, a canta galo (cachaças), o quinado imperial (vinho)...”

Para conter possíveis excessos, a cultura seringueira contava com um recurso: “Havia um fiscal, que cuidava da harmonia da festa, para ninguém beber demais ou se comportar mal, sem ignorância nem bate-boca.” Isso fazia das comemorações um momento de descontração saudável entre as famílias. “A festa é para todos brincarem com alegria e com amor”, ensina seu Antônio Pedro, 72 anos, nascido Antônio José da Silva. Continue lendo, aqui.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários neste blog passam por nossa moderação, o que nos confere o direito de publicá-los ou não.

Os textos e conteúdos dos comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam, necessariamente, a opinião deste blog.

Não serão publicados comentários de leitores anônimos ou aqueles considerados moralmente ofensivos, racistas, preconceituosos ou que façam apologia a qualquer tipo de vício ou atos de violência e discriminação.

A reprodução é livre desde que mantido o contexto e mencionado a fonte.